conecte-se conosco

Legislação

Como preparar seus funcionários para a legalização da Cannabis?

Empresas precisam se adaptar para a nova realidade

Published

on

Hoje, no Brasil, é possível sair para fumar um cigarro e voltar a trabalhar. Em algumas empresas, até mesmo uma cervejinha ou vinho na hora do almoço são liberados. Imagine que a Cannabis fosse legalizada também: seria possível utilizá-la durante o horário de expediente? Isso vem sendo discutido em locais dos EUA e no Canadá.

De acordo com a Health Canada, o número de pessoas acima de 15 anos de idade subiu de 12% para 14% em 2015 e 2018. O uso diário ou semanal no país é feito por 7,8% da população, o que corresponde a 2,4 milhões de pessoas.

“Isso significa que, em qualquer dia de trabalho, um número significante de funcionários estará usando ou considerando usar a cannabis antes, durante ou depois do trabalho”, disseram Monika Slovinec D’Angelo, pesquisadora no Conselho Conferencial do Canadá, e Bill Howatt, pesquisador-chefe de produtividade da força de trabalho na consultoria de recursos humanos Morneau Shepell.

De acordo com os especialistas, as companhias “estão expandindo suas políticas empresariais para garantir que os empregados saibam o que o ambiente profissional significa, e estão deixando claro que suas acomodações só podem ser usadas para uso médico [da Cannabis]”.

Veja 8 dicas que eles preparam para os gestores frente a essa nova realidade:

  1. Dê a todos os funcionários informações gerais sobre a Cannabis, incluindo seus vários aspectos: níveis de THC nos diferentes produtos, efeitos de diferentes métodos de ingestão (como a diferença entre fumar e comer), e os perigos da dependência, para facilitar a compreensão dos potenciais impactos profissionais e impactos legais;

    2. Faça um webinar para toda a equipe que sublinhe e os eduque a respeito da política de empresa para uso da substância, de uma forma simples, informativa e engajadora;

    3. Certifique-se de que os funcionários estão cientes do “onde” e “por que” [a erva pode ser consumida] que constam nas políticas relacionadas à cannabis;

    4. Deixe claro quais são os danos da maconha, o que significa estar apto para o trabalho e o papel da chefia e dos funcionários em implementar e apoiar a segurança no ambiente de trabalho – especialmente em ambientes sensíveis em relação à segurança;

    5. Treine os gestores em como monitorar e lidar a aptidão dos funcionários para o trabalho, com relação ao uso da maconha;

    6. Considere treinar todos os funcionários a respeito das ligações existentes entre estresse, saúde mental, abuso da substância, enfermidades mentais, resiliência e formas de lidar com a Cannabis, promovendo a saúde e o bem-estar dos funcionários;

    7. Dê também educação financeira a respeito do custo do uso médico da Cannabis (como a diferença entre usar as flores e o óleo) e as distintas aplicações médicas dos vários tipos e formas de CBD.

    8. Deixe clara a posição da organização sobre o consumo de maconha no ambiente de trabalho e ajude os empregados a lidar com qualquer enviesamento dessas regras, para reduzir o risco de conflitos internos e assédio envolvendo a cannabis.