conecte-se conosco

Legislação

Família que viralizou na internet consegue autorização para cultivo de Cannabis

Pai e filho sofrem de doenças graves e tiveram melhora significativa

Published

on

Nos últimos meses, o Brasil inteiro conheceu a família Suzin. Ivo, 57, sofre de Alzheimer, enquanto seu filho, Filipe, tem leucemia mieloide crônica. Ambos utilizam óleo medicinal de Cannabis para aliviar os sintomas da doença, mas tiveram dificuldades em conseguir acessar o remédio e, depois de muita luta, receberam autorização da Justiça Federal de Goiás para cultivar a planta e produzir seu próprio medicamento.

Veja também: Em tratamento com Cannabis, pai com Alzheimer reconhece sua família

A decisão, de acordo com os advogados da família, é inédita no Brasil. Isso porque, além de permitir o plantio, garante explicitamente a importação de sementes e o transporte de plantas e flores para testes em laboratórios.

“É um marco na história porque é a primeira vez que um juiz fala de forma explícita sobre porte, por exemplo”, comemora Yuri Bem Hur da Costa Tejota, advogado da família e presidente da Associação Goiana de Apoio e Pesquisa à Cannabis Medicinal (Àgape), entidade que deu suporte aos pacientes desde o início do tratamento canábico. “Para a Ágape é mais uma reafirmação do bom trabalho e, para a comunidade que está nessa luta, com certeza é um grande passo, uma vitória”, completa Tejota.

Outra novidade da sentença foi o fato de não ter se baseado na eficácia desse tratamento específico, mas das várias aplicações medicinais da Cannabis, as quais têm curado pacientes e melhorado sua qualidade de vida.

“A decisão inicial foi bastante lúcida e sem polêmica. Foi uma decisão baseada em diversos documentos apresentados que comprovam a eficácia de tratamento para estes pacientes. Não se discutiu a eficácia, mas foram levados em consideração os resultados clínicos para pacientes que já buscaram todo tipo de atendimento”, explicou o advogado.

Veja também: Justiça autoriza empresa a cultivar espécie de Cannabis para fins medicinais

“Foram muitos meses de exposição, de busca, de luta, mas felizmente temos este resultado hoje. Estamos muito, muito satisfeitos com a decisão judicial”, vibra Felipe.