conecte-se conosco

Legislação

Mais um confisco de óleo de Cannabis atrapalha tratamento de criança no Reino Unido

Autoridades médicas britânicas ainda dificultam acesso ao remédio

Published

on

A garota Teagan, de nove anos de idade, ficou sem o remédio que precisa para tratar seu grave quadro clínico. Isso porque as autoridades britânicas confiscaram o óleo de Cannabis que a mãe dela, Emma Appleby, trazia de Roterdã, na Holanda. No último sábado, após entrar na Inglaterra, funcionários da alfândega apreenderam o medicamento, que custou 4.500 libras (cerca de 22,7 mil reais) e duraria por três meses.

Sofrendo de um distúrbio cromossômico raro e de Síndrome de Lennox-Gastaut – que ocasionam até 300 convulsões por dia -, Teagan já testou vários outros tratamentos, mas nenhum deles funcionou como a Cannabis. A mãe da menina lamentou o confisco do remédio e se disse “devastada”.

Reino Unido legalizou, mas nem tanto

No ano passado, após uma série de casos de apreensão de remédios de Cannabis, o governo britânico foi pressionado a permitir o consumo medicinal de produtos derivados da planta. Sajiv Javid, Ministro do Interior, anunciou a liberação, mas o acesso ao medicamento ainda é difícil.

De acordo com o serviço nacional de saúde, remédios à base de Cannabis podem”ser prescritos somente para indicações onde haja clara evidência de benefício” e em “pacientes onde há uma necessidade clínica que não possa ser atendida por um medicamento licenciado e onde as opções de tratamento foram esgotadas”.

Nesse contexto de resistência das autoridades médicas, os pais de pacientes têm encontrado dificuldades para obterem receitas. Esse foi o caso de Emma, que afirma ter buscado uma prescrição com vários profissionais britânicos, mas só conseguiu sucesso na Holanda.

“Enquanto os médicos discutem sobre o que constitui evidência, minha filha está sofrendo todos os dias”, afirma a mãe de Teagan.