conecte-se conosco

Legislação

Nova Zelândia pode legalizar Cannabis através do voto popular, diz senador

País seria o primeiro do mundo a colocar o povo para decidir

Published

on

Por meio de sua conta no Instagram, o senador neozelandês Richard Di Natale, do partido Verdes Australianos, declarou que seu país pode ser o primeiro do mundo a legalizar a Cannabis através do voto popular. Segundo o parlamentar, será necessário um acordo com o Partido Trabalhista, setor majoritário do governo, para a convocação de um referendo em 2020.

“A Nova Zelândia pode se tornar o primeiro país a legalizar a maconha por meio do voto popular”, afirmou Di Natale. Em meio às eleições, ele defende que seu partido é o único “com um plano para a reforma da legislação sobre drogas que inclui a legalização e regulamentação da cannabis”.

Uso medicinal já foi legalizado

Em dezembro do ano passado, a Nova Zelândia legalizou a Cannabis medicinal, permitindo o acesso para pacientes com dores crônicas e mediante prescrição médica.

A alteração legislativa se tratou de alterar a classificação do canabidiol: de “droga controlada” para “medicamento fornecido sob prescrição”. As empresas que quiserem produzir o remédio, além de servir ao mercado nacional, terão a opção de exportar.

Em agosto do mesmo ano, o governo neozelandês defendeu, inclusive, a legalização do uso social, principalmente com o objetivo de evitar mortes causadas por produtos sintéticos.

“Vamos legalizar a Cannabis natural para nos livrarmos de coisas sintéticas”, afirmou Ross Bell, diretor executivo da FDA (Food and Drug Administration), órgão análogo à Anvisa.