conecte-se conosco

Mais

“Cientista da Cannabis” é demitido de escola no Colorado, mas instituição recebe impostos canábicos

“A guerra às drogas no Colorado ainda não acabou”, afirma Carter Baird

Published

on

Mesmo nos lugares em que a Cannabis foi legalizada, a desconstrução dos tabus a respeito da planta ainda tem muitas etapas a serem percorridas. Veja o exemplo do “Pot Scientist” (“Cientista da Cannabis”, em tradução livre): formado em bioquímica e teatro, Carter Baird foi demitido da Peak to Peak Charter School, em Lafayette, Colorado. O motivo? A escola descobriu a existência de seu canal no YouTube, cujos vídeos apresentavam o professor tirando dúvidas a respeito da planta. Mas o questionamento de Baird vai muito além da demissão.

“Eles me sentaram e explicaram que alguns alunos haviam descoberto meu canal no YouTube”, disse o professor. “Isso causou algum tipo de comoção. Eles realmente não especificaram o que era, mas disseram que os estudantes estavam conversando sobre e teriam que me mandar embora”, completou Baird.

Ele acredita que sua demissão, de fato, poderia ter acontecido. Brandon Coats, por exemplo, é tetraplégico e utiliza Cannabis medicinal para controlar espasmos musculares bastante dolorosos causados pela paralisia dos membros. Em 2015, após ser flagrado pelo uso da planta no teste de drogas da Dish Network, empresa em que trabalhava, a Suprema Corte do Colorado decidiu que a companhia tinha o direito de demiti-lo. Se a Justiça agiu assim no caso de Coats, compreende-se porque a Peak to Peak teve caminho livre para mandar Baird embora.

O que, de fato, irrita o “Cientista da Cannabis” é o fato de a escola receber verbas provenientes dos impostos sobre venda de Cannabis. De acordo com o site do Departamento de Educação do Colorado, a Charter School recebe uma parte do imposto especial sobre Cannabis do estado, verba utilizada para reformas, manutenção e outras necessidades. Contraditório, não?

Diante da situação, Baird resolveu reativar seu canal no YouTube. Para ele, ficou evidente a necessidade de ampliar o debate sobre a legalização para desmistificar o uso da planta, até mesmo para fins medicinais. “Eu estava prestes a cancelá-lo e agora sinto que é necessário esse conhecimento”, declarou.

“Você acha que a guerra às drogas no Colorado acabou? Não acabou”, afirma o “Cientista da Cannabis”.