conecte-se conosco

Mais

Webinar vai debater o turismo canábico pelo mundo

Iniciativa tem parceria com a Universidade do Colorado

Published

on

No dia 5 de dezembro, o Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC, de acordo com a sigla em inglês) vai promover um webinar com foco no turismo canábico. A iniciativa acontece devido ao crescimento da legalização da planta pelo mundo, fato que tem aberto novas oportunidades de negócios em setores relacionados a lazer.

“O Canadá se tornou o segundo país do mundo a legalizar a posse e consumo recreativo de Cannabis, depois do Uruguai. A Cannabis também já está disponível para uso limitado na Holanda, em alguns estados dos EUA e em outros destinos, como a Jamaica”, disse o WTTC em nota enviada à imprensa. “A Cannabis tem sido, cada vez mais, considerada pelos destinos na promoção turística”, descreve ainda o comunicado.

O webinar foi desenvolvido em parceria com a Universidade do Colorado, o Visit Califórnia e a Ingle Insurance.

 

Califórnia se destaca

Na Califórnia, um dos segmentos que mais têm aproveitado os benefícios da legalização da Cannabis é o hoteleiro. Em Coachella Valley, o Desert Hot Springs Inn já está se divulgando como “Cannabis friendly”, proporcionando tranquilidade e atrações especiais para os visitantes consumirem a planta.

John Thatcher, dono do empreendimento, verificou crescimento de 50% nas reservas e se surpreendeu com o fato de os principais convidados serem adultos de alta renda. Ele afirmou que os hóspedes não são “uma multidão de drogados no porão”, estereótipo comumente atribuído aos consumidores de Cannabis.

“Adoro não ter que me preocupar quando fumo”, disse Max Groso, que é de Miami e se hospedou no Desert Hot Springs Inn em viagens de negócios duas vezes nos últimos meses. “É muito relaxante, especialmente à noite, quando o sol está se pondo”, disse Groso, que adora utilizar o pátio do hotel para consumir a planta.

 

México está de olho

Em fevereiro, Enrique de la Madrid, Ministro do Turismo do México, defendeu a legalização da Cannabis como forma de combater a violência gerada pela guerra entre traficantes e polícia, situação que tem prejudicado o turismo local.

Ele defendeu que se legalize o consumo, a produção e a venda de maconha, visando um “cessar fogo” que criaria condições mais seguras para os turistas.