conecte-se conosco

Negócios

Bolonha, na Itália, recebe a sétima edição de feira internacional de Cannabis

Produção de cânhamo é tradição no país

Published

on

Um dos mais tradicionais centros de produção de cânhamo vai receber a sétima edição de evento que promete ser a maior feira internacional da Cannabis. A Indica Sativa Trade acontece na cidade de Bolonha, no norte da Itália, entre os dias 12 e 14 de abril.

O evento reúne produtores e profissionais de diversas áreas, como medicina, culinária e tecnologia, além de outros interessados na chamada “nova economia do cânhamo” – um tipo de Cannabis que possui, no máximo, 0,2% de THC. Lançamentos de produtos, exposições e oficinas acontecem durante os três dias de programação, entretendo os participantes com os benefícios da versátil planta, a qual pode ser usada para fazer remédios, tecidos, alimentos, construções, entre outras utilidades.

“A entrada no mercado legal de Cannabis nos levou a ter um papel de liderança: o primeiro produto italiano foi apresentado na Indica Sativa Trade em 2017”, contam os organizadores. “A partir desse momento, o mercado se tornou muito mais importante e envolveu milhares de empreendedores, muitas vezes provenientes de diferentes origens, que começaram a se interessar por este mundo”, completam os responsáveis pelo evento.

“Como em todos os setores em rápida expansão que catalisam o interesse de novos profissionais, há uma necessidade muito forte de conhecimento, por isso temos trabalhado arduamente para melhorar o aspecto de treinamento do evento: oferecemos reuniões e seminários com especialistas de renome nacional e internacional em uma feira que não é apenas uma oportunidade comercial, mas também de estudo e pesquisa”, detalha ainda a produção da Indica Sativa Trade.

A feira ainda terá uma grande evolução em comparação com a edição anterior, contando com mais de 6 mil metros quadrados de exposições, além de mais de 200 expositores, 1000 trabalhadores e um número superior a 25 mil visitantes.

Tradição nacional

Até as primeiras décadas do século XX, a Itália era o segundo maior produtor de cânhamo do mundo, perdendo apenas para a União Soviética. Em 2018, os italianos movimentaram mais de 40 milhões de euros com a indústria da planta, número que só não aumenta devido a restrições governamentais – localizada em Florença, a única instalação oficial de produção de Cannabis medicinal não está conseguindo acompanhar a demanda dos pacientes que necessitam do remédio.

Diferentemente do Brasil, no entanto, a substância já é regulamentada para esse objetivo na Itália – há uma estimativa de que 2 a 3 mil pessoas são beneficiadas com o tratamento no país.

Entre 2013 e 2018, a área de plantações de cânhamo cresceu de 400 para 4 mil hectares, havendo forte participação da agricultura familiar.