conecte-se conosco

Negócios

Cannabis legal segue em falta no Canadá

Varejistas chegam a trabalhar apenas três dias por semana devido à falta de produtos

Published

on

A demanda por Cannabis legal no Canadá segue muito maior que a oferta da planta. Desde que o governo federal legalizou o uso recreativo, os produtos “evaporam” das prateleiras em instantes. E se esse fato demonstra, por um lado, o grande sucesso econômico da mudança legislativa, ele também ocasiona, por outro, um constrangimento dos varejistas diante de seus consumidores e um risco de fortalecimento do tráfico de drogas.

“Quando há falta de abastecimento, não importa o quão grande é sua empresa, simplesmente não há nada que você possa fazer”, lamentou James Burns, CEO da da Alcanna, que possui lojas de bebida no Canadá e EUA, além de dispensários na província canadense de Alberta.

Os funcionários de Burns têm se dedicado a localizar fornecedores legais no site do governo para conseguir adquirir mercadoria antes de seus concorrentes. Outra medida que ele deve tomar é diminuir o horário de funcionamento de suas lojas.

“São eles (fornecedores) que dizem o quanto vão me mandar e quais produtos, então eu definitivamente não pego tudo o que quero”, explicou Thomas Clarke, que é da província de Newfoundland e um dos primeiros vendedores legais de Cannabis no país.

“Achamos que nossos fornecedores vão conseguir suprir a demanda na próxima primavera, mas, até lá, ainda podemos ter faltas”, conta Linda Bouchard, porta-voz, da Société Québécoise du Cannabis, da província de Québec. A loja está funcionando apenas de quinta a domingo devido à falta de estoque.

Tráfico se fortalece?

A Health Canada, responsável por distribuir licenças de produção de Cannabis, foi questionada sobre se a falta de fornecedores pode levar os consumidores a buscarem o mercado ilegal. Em nota, a agência explicou que essa consequência ainda vai demorar um pouco para ser resolvida.

De acordo com a entidade, acabar com fornecedores clandestinos é tarefa que, assim como acontece nos estados dos EUA que legalizaram a planta, deve levar alguns anos.

“É importante lembrar que a legalização no dia 17 de outubro veio após quase um século de criminalização, e foi o lançamento e regulação de um novo setor inteiro no nosso país”, argumentou a Health Canada em comunicado oficial.

“E como qualquer nova indústria onde há demanda considerável, esperamos que haja épocas em que os estoques de alguns produtos fiquem baixos e, em alguns casos, acabem”, destaca a nota.