conecte-se conosco

Negócios

Ex-NFL consegue licença para abrir dispensário em Michigan

Cannabis medicinal é comum entre aposentados do esporte

Published

on

Atualmente aposentado da National Football League (NFL), Calvin Johnson é mais uma celebridade a se aventurar nos negócios de Cannabis medicinal. Antigo wide receiver – no futebol americano, uma posição de ataque – do Detroit Lions, ele conseguiu licença preliminar para operar um dispensário no estado de Michigan, nos EUA.

Junto de sua esposa, essa foi a segunda tentativa para a obtenção do registro inicial, na medida em que a primeira foi negada devido a multas de trânsito não pagas por Johnson. Com a quitação da dívida, ele foi, finalmente, aprovado como uma pessoas livre de pendências judiciais.

“Calvin é grato e espera poder operar com sua marca Primitive neste novo empreendimento”, afirmou Michael Stein, advogado do ex-jogador. “Ele espera ter uma grande presença no estado”.

Agora, Johnson precisa conseguir uma aprovação municipal da cidade onde deseja operar o negócio. Onde será que ele vai colocar suas strains de Cannabis medicinal?

Cannabis também melhora a saúde dos atletas

Leonard Marshall, campeão da NFL (National Football League) em 1986, é vítima de Encefalopatia Traumática Crónica (ETC), uma doença neurológica causada pelos anos de jogos. Ele recorreu ao Elixinol, medicamento feito a partir da Cannabis, para tratas os sintomas de depressão, sono, ansiedade, mudanças de humor, equilíbrio, concentração e paciência.

“Opioides matam pessoas. Uma planta, não”, afirmou Marshall, fazendo referência aos anti-inflamatórios que tomava e foram substituídos pelo canabidiol.

De acordo com a NFL Players Association (Associação de Jogadores da NFL), a carreira dos jogadores dura, em média, 3,3 anos. Cerca de 40% dos ex-atletas desse esporte possuem problemas cerebrais.

Marshal se tornou embaixador do remédio que salvou sua vida, algo exaltado pelos executivos da empresa. “Estamos extremamente orgulhosos das realizações de Leonard, ele é um guerreiro, como um jogador, e um sobrevivente do ETC. Estamos muito satisfeitos em vê-lo nomeado para o Football Hall of Fame, um reconhecimento adequado de sua carreira de futebol “, afirmou Gabriel Ettenson, COO da Elixinol.