conecte-se conosco

Negócios

Paraguai: senador acredita que legalização da Cannabis dobraria o PIB do país

Números giram em torno de US$ 5 bilhões

Published

on

O Paraguai é o maior fornecedor ilegal de Cannabis para o Brasil e vários outros países. Hoje, pensar nesse fato pode ser uma forma de depreciar a imagem de nossos vizinhos, reforçando o estereótipo de “grande mercado de produtos clandestinos”. Agora, já imaginou se todas as plantações canábicas por lá fossem legais? O senador Paraguaio Cubas levantou algumas das possíveis vantagens.

Veja também: Sabe como a Cannabis “prensada” é produzida?

Defensor da legalização da planta, o parlamentar prevê um aumento de US$ 5 bilhões no Produto Interno Bruto (PIB) nacional com a medida. Seria aproximadamente “o dobro do que se arrecada com a produção de soja”, nas palavras de Cubas. 

Sua ideia é de que os consumidores fossem devidamente cadastrados – “assim vamos saber quantos são” – e que não só a planta in natura fosse vendida, mas também produtos derivados. “Pode fazer Cannabis com torta, Cannabis com cerveja, Cannabis com Coca Cola… alimento”, disse o senador, atento às experiências canábicas em países como Estados Unidos e Canadá, por exemplo.

Veja também: Mercado global de Cannabis vai movimentar US$ 194 bi, aponta relatório

Colômbia também faz projeções

Uma das nações mais estigmatizadas do mundo devido ao histórico sangrento ocasionado pelas lutas entre polícia e narcotráfico, a Colômbia parece estar decidida a desconstruir esse tabu e planeja alçar voos altos na indústria de Cannabis medicinal. Várias empresas apostam no país como o futuro maior produtor mundial devido ao clima extremamente favorável. 

“Não podemos perder a oportunidade histórica que se apresenta à Colômbia para ser líder nisso”, argumenta Rodrigo Arcila, presidente da Associação Colombiana de Indústrias de Cannabis (Asocolcanna).

E no Brasil, quando será que começaremos a aproveitar esse mercado promissor?

Veja também: Vinte empresas querem produzir Cannabis medicinal no Brasil