conecte-se conosco

Negócios

Vinte empresas querem produzir Cannabis medicinal no Brasil

Companhias se preparam para regulamentação

Published

on

Diante da possibilidade de regulamentação da Cannabis medicinal no Brasil, ao menos vinte empresas já procuraram a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) apresentando interesse em iniciar operações no país. Os mais interessadas são grupos dos Estados Unidos, Canadá e Israel, três dos principais mercados canábicos do mundo. Representantes da Austrália, do Uruguai e da Europa também entraram em contato com a agência.

Veja também: França autoriza Cannabis medicinal para pacientes com doenças sem cura

As propostas de regulamentação começaram a receber ameaças por parte do Governo. Osmar terra, por exemplo, chegou a dizer que poderia acabar com a Anvisa caso o projeto se concretize. No entanto, as companhias precisam se organizar desde já para definirem locais de plantio e preparação da planta, distribuição e venda.

Veja também: Produtora de Cannabis vai entrar na bolsa de Londres

A estimativa da startup The Green Hub é de que o mercado brasileiro chegue à marca de 3,9 milhões de pacientes em três anos, número que construiria um negócio de R$ 4,7 bilhões anuais.

“A Colômbia está bem avançada, vai ser um dos principais exportadores, mas temos muito potencial, principalmente em um movimento em que a Anvisa dá esse passo fundamental para o Brasil não perder a vantagem competitiva. É a indústria mais promissora de todos os tempos, e a gente vê com bons olhos esse movimento da Anvisa”, disse Marcel Grecco, CEO da The Green Hub, que tem sede na cidade de São Paulo.

Veja também: Israel sofre com desabastecimento de Cannabis