conecte-se conosco

Saúde

Associação baiana faz parceria com laboratório chileno para tratar pacientes com Cannabis

ONG também busca o direito de cultivar

Published

on

Localizada no município de Pituba, na capital da Bahia, a Cannab (Associação para Pesquisa e Desenvolvimento da Cannabis Medicinal no Brasil) vai poder tratar 120 de seus pacientes com Cannabis. Isso vai se dar devido a uma parceria com o laboratório chileno Knop, um dos principais centros de pesquisa canábica “e o primeiro a produzir e vender a medicação na América Latina”, segundo Leandro Stelitano, presidente da Cannab.

Veja também: Anvisa prevê regulamentação do cultivo de Cannabis medicinal até o fim do ano

A associação possui mais de 300 pacientes, dos quais as enfermidades variam entre epilepsia refratária, autismo, esclerose múltipla, Mal de Parkison, dor crônica, fibromialgia e câncer.

“Os nossos associados não pagam nada para acessar a associação e nós damos assistência a eles de acordo com o que a lei nos permite”, explica Leandro.

A parceria ainda envolve a Fundação de Neurologia e Neurocirurgia do Instituto do Cérebro e “fará com que a pesquisa sobre cannabis medicinal avance, que é o que o Brasil precisa”, acredita o presidente da Cannab.

Pelo direito de cultivar

Os representantes da associação estão se movimentando para obter o direito de cultivo. “Demos entrada na Justiça em fevereiro de 2018 e estamos aguardando. Queremos poder produzir nossos medicamentos e atender nossos associados”, contou Stelitano.

Ele passou a se interessar pela causa ao ver a evolução do filho de um amigo com a Cannabis medicinal. O garoto é autista e o tratamento com a planta teve ótimos resultados. “Eu via o sofrimento dele e como o tratamento com a Cannabis medicinal possibilitava sua recuperação”, explicou.

Leandro conta com o auxílio de um especialista no assunto: o uruguaio Marco Algorta, presidente da Câmara de Empresas de Cannabis Medicinal do Uruguai.

“Foi ele quem fez o protocolo de cultivo que está anexado ao processo na Justiça. É um cara que tem toda a expertise, participou do conselho consultivo do Uruguai com o Mujica na regulamentação lá e está nos auxiliando bastante”, disse Leandro, lembrando que Algorta é consultor da Cannab.