conecte-se conosco

Saúde

DF libera compra direta de canabidiol

Pacientes precisam apenas de recomendação médica

Published

on

Um importante passo para a saúde dos brasileiros foi dado no Distrito Federal (DF). Em portaria publicada na última semana, a Secretaria de Saúde decretou que os pacientes podem adquirir canabidiol mediante indicação médica e cadastro.

No restante do país, ainda é necessário enviar um pedido à Agência Nacional de Vigilância Sanitária contendo receita e laudo médico que comprove a ineficácia do uso de medicamentos convencionais. Após o período de espera, os pacientes ainda chegam a desembolsar entre 1 e 7 mil reais para obter o remédio.

Agora, essa situação será diferente no DF. A Farmácia de Alto Custo passa a oferecer remédios canábicos – a Secretaria de Saúde gastou R$ 147 mil desde 2015 para comprar 206 ampolas desses produtos a pedido de 21 famílias de pacientes.

Na mesma semana, Brasília sediou o I Congresso do Centro-Oeste de Cuidados Paliativos e Dor Oncológica, que contou com uma palestra sobre medicina canabinoide.

“Meu filho, até os cinco anos de idade, foi internado 48 vezes. Só eu tive que o entubar mais de 20 vezes. Ele só é vivo, porque o pai dele é médico”, contou o Dr. Leandro Ramires, que palestrou no evento e é um dos maiores especialistas canábicos do país.

“Hoje, com o canabidiol, não gastamos mais nenhum anticonvulsivante do Estado e nunca mais ele frequentou uma UTI neonatal”, completou o oncologista, que ajudou a fundar a  Associação Brasileira de Pacientes de Cannabis Medicinal (AMA+ME).

Outra participante do Congresso foi a Drª Carolina Nocetti, que falou sobre a importância de difundir informações para quebrar preconceitos.

“Ainda hoje é difícil encontrar um médico que receite o CBD. Queremos disseminar os benefícios do canabidiol com pesquisas e congressos, para que cada vez mais profissionais aprendam sobre a substância e a usem como uma alternativa natural para o tratamento de diversas doenças”, explicou a médica.