conecte-se conosco

Saúde

Dia Mundial da Esclerose Múltipla: Cannabis é alternativa de tratamento

Planta mudou perspectiva de vida de pacientes

Published

on

A esclerose múltipla é uma doença rara e de difícil controle. Autoimune, faz com que as defesas do corpo “ataquem” células “boas” por confundi-las com “invasoras”. Isso prejudica o cérebro, os nervos ópticos e a medula espinhal, ocasionando fortes dores, entre outros sintomas. Um presente para os pacientes no Dia Mundial da Esclerose Múltipla (30), no entanto, são as crescentes evidências dos benefícios da Cannabis no tratamento da doença.

Desde “anônimos” até celebridades, a planta tem melhorado a qualidade de vida e dado novas perspectivas às vítimas da esclerose. Gilberto e Cláudia são exemplos disso.

Gilberto Castro é designer e foi diagnosticado com a doença em 1999. Seu médico lhe deu 5 anos de vida útil – após esse período, definharia até a morte. O paciente, então, pesquisou sobre tratamentos alternativos, na medida em que os convencionais não estavam fazendo o efeito desejado. E foi na Cannabis que ele encontrou uma possibilidade de seguir a vida com bastante qualidade.

A outra vítima da doença é Cláudia Rodrigues – entre tantos outros papéis, ficou conhecida pelas atuações em “Sai de Baixo”, “Zorra Total” e “A diarista”. A atriz passou anos sem atuar devido ao avanço da esclerose, mas o tratamento com canabidiol ajudou-lhe a voltar ao teatro no ano passado.

Mais do que cultuar a Cannabis como uma “heróica salvação” da vida desses pacientes, desejamos que os “dias nacionais” e “mundiais” de conscientização sobre enfermidades sirvam para a quebra de tabus. Nenhuma pessoa merece sofrer para conseguir o medicamento necessário. Como bem coloca o slogan da Associação Brasileira Cannabis Esperança (ABRACE): a dor não pode esperar.