conecte-se conosco

Saúde

Fibromialgia: Cannabis é alternativa contra medicamentos tradicionais

Pesquisa em Israel indicou 50% de redução no uso de outros remédios

Published

on

A fibromialgia é uma condição que afeta de 2% a 4% dos brasileiros, especialmente mulheres entre 30 e 50 anos de idade. O diagnóstico da doença não é tão simples, na medida em que os principais sintomas são dores em várias regiões do corpo, especialmente tendões e articulações, mas também desenvolve fadiga e estresse – a conclusão dos médicos, em muitos casos, é de que o caso corresponde apenas a um distúrbio psicológico. E como tratá-la? A terapia convencional contempla o uso de relaxantes musculares e antidepressivos, mas a Cannabis tem se mostrado uma alternativa eficaz e com menos efeitos colaterais.

Veja também: Goma de mascar canábica alivia efeitos da fibromialgia

Uma pesquisa realizada em Israel coletou dados de dois centros médicos especializados na doença. Participaram 26 pacientes – 73%, mulheres – com idade média de 37 anos e tempo mínimo de diagnóstico de 2 anos. Eles responderam a um questionário antes e depois de um tratamento de 11 meses com Cannabis medicinal, e os resultados foram animadores: 100% dos pacientes relataram melhora e 50% contaram ter parado de utilizar os medicamentos tradicionais.

“Devido às dores crônicas, é muito comum que a fibromialgia leve a anormalidades no sistema nervoso, mudando a forma com que os pacientes lidam com o estresse”, explicou Wellington Briques, diretor médico da Canopy Latam, a respeito da doença. “A fadiga constante também pode levar a isolamento das atividades rotineiras, ansiedade, falta de energia, sentimento de culpa e muitos outros sintomas que desencadeiam a depressão”, completou o executivo.

Briques reforçou a importância da busca por alternativas no tratamento da fibromialgia. No Brasil, o Ministério da Saúde aponta que a dor crônica atinge entre 29% e 73% da população, a depender do estado. “Esses índices são alarmantes, pois sabemos que a incidência de dor crônica está diretamente relacionada a outros vários problemas de saúde. É preciso buscar novas tratamento, com mais benefícios e menos efeitos colaterais, e os canabinoides têm se mostrado uma boa opção para a maioria dos casos”, afirmou o diretor da Canopy Latam.