conecte-se conosco

Saúde

“Não senti mais dores”, diz mulher com fibromialgia após uso de Cannabis

Paciente foi informada por um sobrinho que mora no Canadá

Published

on

“Tudo começou com uma dor que não havia explicação”, relata a sul-mato-grossense Daniela Staut, 40. “Era como se eu estivesse com uma gripe muito forte e um cansaço enorme. Acreditava, no início, que fosse uma dor muscular por causa dos voos. E só depois de uma forte crise que eu fui diagnosticada com fibromialgia”, explica a comissária de bordo.

Veja também: Campo Grande recebe caminhada internacional por Cannabis medicinal

Depois de tentativas frustradas de tratamento, ela parou de sentir as dores decorrentes de seu quadro severo de fibromialgia. Isso aconteceu desde que aderiu à Cannabis medicinal, cuja utilização tem aliviado as dores de muitos pacientes na mesma situação.

“Há um mês, ele mudou minha rotina. Depois que passei a tomar a medicação, não senti mais dores”, conta Daniela, que agora é ativista pela legalização da planta.

Sua relação com a Cannabis, no entanto, não é muito antiga. Ela ficou sabendo desse remédio alternativo através de um sobrinho que foi morar no Canadá, principal centro canábico do mundo.

Veja também: Fibromialgia: Cannabis é alternativa contra medicamentos tradicionais

“Lá eles têm fácil acesso. Mas até então eu nunca havia pensado nele. Meu sobrinho foi quem me deu as primeiras informações e eu fui pesquisar”, explica a paciente. Apesar da indicação e do estudo a respeito, um grande tabu precisou ser quebrado na cabeça da moça.

“Eu achava que ia ser alucinógeno por causa das pessoas que associavam a substância com as drogas”, disse Daniela, que agora fomenta a desconstrução do preconceito. “As pessoas não têm consciência dos benefícios, julgam a medicação enquanto poderíamos ver menos pessoas sofrendo”, defende Daniela.